Faculdade de Letras da UFRJ promove oficinas de LIBRAS no MN

No mês de novembro o Museu Nacional foi um local de trabalho para alguns estudantes de Letras – LIBRAS da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Com intuito de cumprir a didática e prática de ensino de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), em Estágio Supervisionado, os discentes planejaram e programaram aulas oferecidas a todos do Museu Nacional/MN.

Além de ser um importante momento de aprendizagem para os futuros professores na construção de saberes, articulação entre teoria e prática e formação de uma identidade profissional, eles ainda conseguiram experimentar outra maneira de produzir conhecimento fora das tradicionais salas de aula: a educação em museus.

O estágio foi programado em cinco encontros, no qual o primeiro ocorreu ainda em setembro, quando os discentes foram recepcionados pelas profissionais da SAE e puderam conhecer o Museu Nacional, para melhor planejarem o curso.  

As aulas foram divididas em quatro encontros, intercalando segundas e sábados, e duraram aproximadamente quatro horas.  A presença média foi de 27 pessoas por dia, com grupos formados por alunos da Faculdade de Letras, servidores e mediadores do Setor Educativo. A atividade também chamou a atenção de alguns visitantes como um casal que, ao ver a movimentação no auditório, pediu para participar e retornou ao MN para assistir às aulas restantes. No último encontro, eles ainda trouxeram a filha pré-adolescente. 

Como os professores da oficina/curso eram majoritariamente surdos, os alunos que participaram puderam voltar o olhar sob a perspectiva dos surdos e perceber suas dificuldades de comunicação.

A dinâmica das aulas ocorreu da seguinte forma:

Aula 1 – O aprendizado do alfabeto e configuração de mãos.

Aula 2 – Cumprimentos, família (pai, mãe, avó, avô, tio etc) e criação de seu próprio sinal identificativo.

Aula 3- Cores e animais. Houve um momento em que grupos foram formados e solicitados a ir às exposições buscar por dúvidas quanto ao vocabulário numa possível mediação ou informação sobre as mesmas.

Aula 4 – Comidas.

Após cada ensinamento, pequenos grupos eram formados para a prática do diálogo entre os participantes.

Além de todos os instantes de conteúdo programado, a oficina também foi um espaço de muita descontração e leveza. Os participantes aprenderam piadas, contaram piadas, ou seja, riram e se divertiram. Momentos de trocas como esses são fundamentais para formação de profissionais melhores. As aulas não contribuíram somente para os estudantes em processo de estágio supervisionado, mas também para toda equipe da SAE/MN que pode fazer parte dessa atividade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s